Querida Candace



“Eu não gosto desse lugar”, começo assim minha carta. Olho em volta e não há ninguém. Continuo: “mas venho aqui por você”. Posso sentir seu sorriso enquanto escrevo. Volto-me para o céu e fecho os olhos deixando as lembranças virem.
- Candace, volta aqui! – corro atrás dela, a pegando pela cintura. – Você não cansa não? – solto uma leve risada enquanto ela se vira para mim e tira uma foto com meu celular.
-Não, e você vai me agradecer por isso quando casarmos e tivermos nossos filhos. Vamos ter muito material para contar para eles sobre nós dois. – sua doce voz preenche meu coração de uma maneira que nunca consegui explicar e que tenho certeza de que nunca conseguirei.
Nunca casamos. Quando me lembro desses momentos em que ela nem podia imaginar que um tumor crescia em seu cérebro, penso em tudo o que poderíamos ter feito. Eu teria aproveitado mais e brigado menos se soubesse que tínhamos tão pouco tempo.
Em meio aos túmulos e mausoléus, permito-me chorar. Choro como se a maior injustiça do mundo tivesse sido feita comigo, e eu acredito que foi. Éramos tão jovens e tão felizes. Candace era a garota mais linda que eu já tinha visto em toda minha vida, e agora, estava deitada em um caixão de mármore abaixo de mim.
Tiro do bolso um papel amassado. Quando o abro, meu coração para ao ler cada desejo que habitava em seu coração, escrito com uma letra horrorosa e garranchada. Ela nunca se importou com sua letra feia, e com o tempo aprendi a decifrá-la. A lista tem apenas 19 itens, um para cada aniversário. Passo meus dedos pelos quatro últimos que foram feitos depois que entrei em sua vida: “Viajar para o caribe com o Christian (feito)”, “Conhecer os sete mares (oceanos) com o Christian”, “Aprender a fazer cupcakes com o Christian” e “Casar na praia com o Christian”.
-Amor? –olho para a menina que entra em meu quarto e se joga na cama- Por que seu pai me deu um papel pra pegar autorização para uma viagem? – meu corpo gela ao vê-la com a folha na mão. Era para ser uma surpresa.
-Droga. - suspiro. Não tenho muito que fazer a não ser contar a ela. - É que... Meu pai quer fazer uma viagem com a família semana que vem e não viu problema em te levar, já que você ama o mar do Caribe... - sou interrompido pelo seu grito de choque e felicidade ao mesmo tempo.
Seco as lágrimas, ponho a carta no envelope dobrada e penso nas últimas palavras que disse a ela pouco antes de seus olhos se fecharem para nunca mais se abrirem: “sempre seu”. Passando os dedos pela lápide, posso ler as dela para mim: “sempre sua”. Deixo uma rosa vermelha, sua favorita, ao chão, levanto e vou embora apenas para voltar no dia seguinte.


Milly




sabrina ferreira disse...

Nossa, que triste... O pior é que a vida continua, e querendo ou não quem fica, deve seguir em frente. Mas ctz esse espaço que ficou nunca poderá ser preenchido... 😞

Www.livroseoutrostrecos.com/

Minha Querida Leitura disse...

Sim, verdade...

Priscila Tavares disse...

A vida tem dessas coisas. Quando tudo parece estar bem, ela vem e tira nosso chão. Nunca é fácil e cada situação é diferente da outra. Mas tudo passa neh. O que nos resta é enfrentar os dias com a certeza de que a gente tem um pedaço da pessoa dentro de nós.
Beijokas

Ariane Eleuterio disse...

Ai que texto triste e profundo, mexeu com meus sentimentos. Amei muito lindo. Você escreve muito bem

Beijos

*Mulher Virtuosa By Vany* disse...

Que texto profundo e sentimental, gostei muito.Vc escreve super bem, consegue nos levar para dentro dos sentimentos

Minha Querida Leitura disse...

Obrigada Vany! <3

Minha Querida Leitura disse...

Obrigada Ariane! Beijinhos...

Minha Querida Leitura disse...

Concordo Priscila, beijos.

Nelly disse...

Nossa que texto profundo... Mexeu comigo , gostei muito! :)

Raíssa Zaneze disse...

Ai, meu olhou merejou. Que texto lindo. É tão cheio de amor e dor ao mesmo tempo. Eu tenho a visão de não ter mais "pena" de quem morre. Sinto que estão em um lugar melhor. Mas nós que ficamos, sofremos muito, porque a vida continua, mesmo com o espaço em branco que foi deixado.
Amei, parabéns. Beijos

https://almde50tons.wordpress.com

Cíntia Carmellin disse...

olá!
Adorei o post!
PArabéns!

Minha Querida Leitura disse...

Que bom Nelly!

Minha Querida Leitura disse...

Obrigada Cíntia <3

Minha Querida Leitura disse...

Obrigada Raíssa, concordo com tudo que você disse.

Yasmim - Blog Literarte disse...

Olá, tudo bom? (:
Que triste, meu deus, me emocionou! Nossa, intenso mesmo! Parabéns!
Beijos, Yasmim.

Blog: http://literarte.blog.br/

Esther De Sa disse...

Olá flor, tudo bem?
Que texto lindo, mas ao mesmo tempo, triste. Infelizmente, muitos têm a vida interrompida tão cedo, tão novos. E pra quem fica, só resta as lembranças.
Beijos!